sábado, 26 de novembro de 2016

A Nossa Casa da Montanha


 Algum dia teremos a nossa casa na floresta, como nós sempre falamos, com as montanhas no fundo e um rio próximo para nadarmos nos dias de verão... 

 Com nossa biblioteca, que já fora iniciada, e nossos móveis élficos que nós mesmos iremos fazer, como os que já fizemos...
 Vamos acordar todos os dias, bem cedinho, tomar o café juntos e sentar lá fora ouvir o canto dos pássaros e sentir a brisa matutina refrescar nossas almas, a floresta de coníferas está coberta pela neblina, e aos poucos o sol vai invadindo a paisagem. Estou deitada no seu colo enquanto você passa a mão, suavemente, pelos meus cabelos.

 E então voltamos para nossa casa rústica, toda planejada, com muito amor, feita por nós para nós, cheia de sonhos e aventuras. 

 Você vai pro seu escritório de arquitetura, onde tem alguns desenhos que você fez de mim espalhados pela tua parede, junto com desenhos de lugares incríveis que visitamos... E eu vou pro meu ateliê, meio bagunçado, com vista para a floresta, floresta em que vou caminhar todos os dias para fazer pesquisas e coletar amostras para o meu pequeno laboratório externo que construímos. 

 Eu estou pintando, distraída, e você chega, devagar, por trás e envolve teus braços na minha cintura, eu me volto, surpresa, e você me beija, olha nos meus olhos e ri "você tá toda pintada", como de costume. Rimos um pouco e logo paramos, nos olhamos em silêncio por uma fração de tempo e então eu quebro o silêncio sussurrando "eu te amo", nos abraçamos, forte.

 Você me mostra seus projetos sustentáveis e sempre com fins sociais e eu fico tão orgulhosa de ti..  Com aquele sentimento de: vamos mudar o mundo! Ficamos ambos tão empolgados com nossas conquistas, compartilhamos nossas alegrias como se fôssemos um só! 

 Aos fins de tarde vamos cavalgar pelos campos juntos, com a companhia dos nossos cachorros, os quais muitos serão resgatados da rua. ♥
 Sentamos na clareira para fazer um piquenique com a tua tradicional torta de maçã que eu tanto amo... Eu senti o cheirinho dela no forno quando estava pintando no meu ateliê, desci as escadas correndo e encontrei você com a forma na mão sorrindo para mim, "surpresa!"...

 À noite deitamos na nossa sala, cheia de lembranças, pedras que achamos há anos atrás (como as que achamos ontem) ornamentam nosso ambiente, fotografias antigas, pinturas e desenhos que fizemos, recordações da nossa história. Deitamos perto da lareira de pedras com nossos livros nas mãos, as chamas ardendo e estalando à nossa frente e então começamos a conversar sobre as coisas fantásticas da vida que costumamos conversar, sobre as inúmeras viagens que fizemos e que ainda iremos fazer, sobre história, arte, livros, sonhos, amor... The Lumineers está tocando no fundo, isso te lembra alguma coisa? Algum dia especial? Eu sei que sim... 

 Antes de dormir vamos lá fora, deitamos no telhado e observamos as estrelas no nosso tão desejado super telescópio, estamos mapeando-as, e você está usando o astrolábio que você mesmo fez. 

 O céu está tão estrelado que é a única luz que temos para nos iluminar, exceto a da nossa essência.  E então entramos para o nosso quarto, dormimos juntos, abraçados, com nossos inúmeros animais ao redor e o mundo lá fora, esperando para amanhã ser conquistado novamente pela nossa sede de mundo, de aventuras e pelo nosso amor imensurável à vida e a um ao outro.

0 comentários:

Postar um comentário